quinta-feira, 24 de dezembro de 2009

Então é Natal!



Mensagem de Natal para todos as pessoas e os que leem o meu blog:

NATAL! Coração começa a bater mais forte. Refletir e agradecer. São tantas as ideias, são tantas as coisas que aconteceram... momentos que nos perdemos em lágrimas, sorrisos, recordações... mas ficaram os apertos de mão e os abraços recebidos. Devemos agradecer por mais um ano e com ele mil sonhos e mil ideias para acontecerem.

Mas, diante deste turbilhão de coisas e acontecimentos, nos pegamos como um coração de criança, que só pede amor; de doente, que só pede saúde; de monge, que só pede tranqüilidade; de cego, que só pede enxergar; de guerreiro, que só pede coragem; de mãe, que só pede união na família; de pai, que só pede que não falte nada; de virgem, que só pede realização na vida; de médico, que só pede para poder ajudar os outros; de sábio, que só pede a paz.

Senhor, que este pobre e humilde coração possa neste Natal apenas bater uníssono com o coração de Cristo e que eu possa ter em minha mente o Teu pensamento, para que eu saiba dizer:

Feliz Natal!!! Que Deus ilumine, sua vida e seu lar!



ENTÃO É NATAL
Simone
Composição: Versão: Cláudio Rabello

Então é Natal, e o que você fez?
O ano termina, e nasce outra vez.
Então é Natal, a festa Cristã.
Do velho e do novo, do amor como um todo.
Então bom Natal, e um ano novo também.
Que seja feliz quem, souber o que é o bem.

Então é Natal, pro enfermo e pro são.
Pro rico e pro pobre, num só coração.
Então bom Natal, pro branco e pro negro.
Amarelo e vermelho, pra paz afinal.
Então bom Natal, e um ano novo também.
Que seja feliz quem, souber o que é o bem.

Então é Natal, o que a gente fez?
O ano termina, e começa outra vez.
E Então é Natal, a festa Cristã.
Do velho e do novo, o amor como um todo.
Então bom Natal, e um ano novo também.
Que seja feliz quem, souber o que é o bem.

Harehama, Há quem ama.
Harehama, ha...
Então é Natal, e o que você fez?
O ano termina, e nasce outra vez.
Hiroshima, Nagasaki, Mururoa...

É Natal, É Natal, É Natal.

sexta-feira, 18 de dezembro de 2009

Não podemos impedir mudanças (Mundo Normal)



Olá para todos. Hoje eu to mais a fim de jogar papo fora, falar qualquer coisa para preencher espaço e atualizar o blog. Venho falar principalmente das mudanças que enfrentei no ano de 2009. A princípio, era um ano para inovar, como sugere a rima com o número 9. Porém, coisas aconteceram, desde oportunidades de ainda exercer mais a profissão de professor, tocar um reforço escolar e esperar ansiosamente por uma nomeação, até perdas e buracos na alma e na vida. Foi um ano misto, mas talvez um ano ruim sim.

O mundo gira e muda a todo instante. Quatro estações modificam o ano terrestre e nunca são iguais às do ano anterior. Não podemos impedir essas mudanças, assim como não podemos impedir mudanças na vida pessoal. Pessoas entram e saem das nossas vidas, se mudam, morrem, ficam nossas inimigas e outras se arrependem. Não é questão de ser passivo, de apenas receber ou assistir a vida, mas sim de compreender que coisas mudam. De qualquer forma, minha vida não será mais a mesma a partir de agora. Mudanças radicais acontecerão e estarei preparado para muitas elas.

A maioria das pessoas não está preparadas para mudanças. É a questão de escolher o mais fácil, o menos doloroso. Só que esse mais fácil poderá ser o muito difícil no futuro. As pessoas têm medo de desobedecer algumas regras e ficar por alguns instantes fora de algum grupo social. Arrisco a dizer que são poucos os que pensam assim que se tornam bem sucedidos. É preciso inovar e dar a cara pra bater, mesmo sozinho. E se adaptar a mudanças, pois somos seres racionais, seres que deixaram de viver em um habitat natural para viver em um mundo de concretos, prédios, fumaças, comida industrializada e tecnologia.


ORDINARY WORLD
Duran Duran

Mundo Normal (*tradução)


Came in from a rainy thursday
Eu vim de uma quinta-feira chuvosa
On the avenue
Pela avenida
Thought I heard you talking softly
Pensei ter ouvido você falando suavemente.

I turned on the lights, the tv
Eu liguei as luzes, a TV
And the radio
E o rádio,
Still I cannot escape the ghost of you
Ainda não consigo escapar de seu fantasma

What has happened to it all?
O que está acontecendo com isso tudo?
Crazy, some'd say
"Louco", alguns dizem.
Where is the life that I recognize?
Onde está a vida que eu conhecia?
Gone away
Foi embora...

But I won't cry for yesterday
Mas eu não vou chorar pelo ontem,
There's an ordinary world
Há um mundo normal
Somehow I have to find
De algum modo eu tenho de encontrar.
And as I try to make my way
E enquanto eu tento trilhar o meu caminho
To the ordinary world
Para este mundo normal,
I will learn to survive
Eu aprenderei a sobreviver.

Passion or coincidence
Paixão ou coincidência,
Once prompted you to say
Certa vez induziu você a dizer:
"pride will tear us both apart"
"O orgulho destruirá nós dois em pedaços"
Well now pride's gone out the window
Bem, agora o orgulho saiu pela janela,
Cross the rooftops
Cruzou os telhados
Run away
Fugiu
Left me in the vacuum of my heart
Me deixou no vácuo do meu coração.

What is happening to me?
O que está acontecendo comigo?
Crazy, some'd say
"Louco", alguns dizem.
Where is my friend when I need you most?
Onde está meu melhor amigo quando mais preciso de você?
Gone away
Foi embora...

But I won't cry for yesterday
Mas eu não vou chorar pelo ontem,
There's an ordinary world
Há um mundo normal
Somehow I have to find
De algum modo eu tenho de encontrar.
And as I try to make my way
E enquanto eu tento trilhar o meu caminho
To the ordinary world
Para este mundo normal,
I will learn to survive
Eu aprenderei a sobreviver

Papers in the roadside
Jornais ao lado da estrada
Tell of suffering and greed
Contam sobre sofrimento e ganância,
Fear today, forgot tomorrow
Temido hoje, esquecido amanhã.
Ooh, here besides the news
Ooh, aqui, ao lado das notícias
Of holy war and holy need
De guerra santa e necessidade santa,
Ours is just a little sorrowed talk
A nossa é apenas uma conversinha de mágoa...

And i don't cry for yesterday
E eu não vou chorar pelo ontem,
There's an ordinary world
Há um mundo normal
Somehow I have to find
De algum modo eu tenho de encontrar.
And as I try to make my way
E enquanto eu tento trilhar o meu caminho
To the ordinary world
Para este mundo normal
I will learn to survive
Eu aprenderei a sobreviver

Every world
Qualquer mundo
Is my world, I will learn to survive
É o meu mundo, eu aprenderei a sobreviver
Any world
Nenhum mundo
Is my world, I will learn to survive
É o meu mundo, eu aprenderei a sobreviver
Any world
Qualquer mundo
Is my world
É o meu mundo
Every world
Todo mundo
Is my world
É o meu mundo

segunda-feira, 14 de dezembro de 2009

Fala em paz


FALA EM PAZ


Justo lembrar: a voz humana está carregada de vibrações.

Esforça-te por evitar os gritos intempestivos e inoportunos.

Uma exclamação tonitruante equivale a uma pedrada mental.

Se alguém te dirige a palavra em tom muito alto, faze-lhe o obséquio de responder em tom mais baixo.

Os nervos dos outros são iguais aos teus: desequilibram-se facilmente. Discussão sem proveito é desperdício de forças.

Não te digas sofrendo esgotamento e fadiga para poder lançar frases tempestuosas e ofensivas; aqueles que se encontram realmente cansados procuram repouso e silêncio.

Se te sentes à beira da irritação, estás doente e o doente exige remédio.

Barulho verbal apenas complica. Pensa nisso: a tua voz é o teu retrato sonoro


(Francisco Cândido Xavier)


"O que acontece não é tão importante quanto como você reage ao que acontece."

(Thaddeus Golas)

sexta-feira, 11 de dezembro de 2009

Vamos comemorar a estupidez humana



Olá, amigos. Olhando aqui de fora de toda essa manifestação contra o governador Arruda aqui em Brasília, observo que nos é tirado o direito de manifestar contra um governo que até que se prove o contrário nos faz de otários. Policiais militares acham que são deuses andando sobre a Terra e usam e abusam do poder para agredir pessoas. Tudo bem, sei que muita gente abusa e passa da conta mesmo. Mas infelizmente polícia aqui fica mais dentro dos postos policiais do que patrulhando os grandes centros das cidades e inibindo a ação de bandidos. E ainda reclamam do salário! Absurdo!
Temos o direito sim de manifestar o nosso descontentamento e exigir a saída de alguém que faz todos de otários. Basta dar muito poder a um homem para ele ficar estúpido e oprimir os outros. Não estamos aí para ser oprimidos e nem aguentar tudo calado. Somos seres pensantes. Aqui é uma democracia (pelo menos no papel) e exigimos um governo honesto.
Para governantes estúpidos e policiais igualmente estúpidos, deixo essa música aqui (e viva à liberdade de expressão):

Obs: o vermelho é de vergonha!


PERFEIÇÃO
Legião Urbana
Composição: Renato Russo

Vamos celebrar
A estupidez humana
A estupidez de todas as nações
O meu país e sua corja
De assassinos
Covardes, estupradores
E ladrões...

Vamos celebrar
A estupidez do povo
Nossa polícia e televisão
Vamos celebrar nosso governo
E nosso estado que não é nação...

Celebrar a juventude sem escolas
As crianças mortas
Celebrar nossa desunião...

Vamos celebrar Eros e Thanatos
Persephone e Hades
Vamos celebrar nossa tristeza
Vamos celebrar nossa vaidade...

Vamos comemorar como idiotas
A cada fevereiro e feriado
Todos os mortos nas estradas
Os mortos por falta
De hospitais...

Vamos celebrar nossa justiça
A ganância e a difamação
Vamos celebrar os preconceitos
O voto dos analfabetos
Comemorar a água podre
E todos os impostos
Queimadas, mentiras
E seqüestros...

Nosso castelo
De cartas marcadas
O trabalho escravo
Nosso pequeno universo
Toda a hipocrisia
E toda a afetação
Todo roubo e toda indiferença
Vamos celebrar epidemias
É a festa da torcida campeã...

Vamos celebrar a fome
Não ter a quem ouvir
Não se ter a quem amar
Vamos alimentar o que é maldade
Vamos machucar o coração...

Vamos celebrar nossa bandeira
Nosso passado
De absurdos gloriosos
Tudo que é gratuito e feio
Tudo o que é normal
Vamos cantar juntos
O hino nacional
A lágrima é verdadeira
Vamos celebrar nossa saudade
Comemorar a nossa solidão...

Vamos festejar a inveja
A intolerância
A incompreensão
Vamos festejar a violência
E esquecer a nossa gente
Que trabalhou honestamente
A vida inteira
E agora não tem mais
Direito a nada...

Vamos celebrar a aberração
De toda a nossa falta
De bom senso
Nosso descaso por educação
Vamos celebrar o horror
De tudo isto
Com festa, velório e caixão
Tá tudo morto e enterrado agora
Já que também podemos celebrar
A estupidez de quem cantou
Essa canção...

Venha!
Meu coração está com pressa
Quando a esperança está dispersa
Só a verdade me liberta
Chega de maldade e ilusão
Venha!
O amor tem sempre a porta aberta
E vem chegando a primavera
Nosso futuro recomeça
Venha!
Que o que vem é Perfeição!...

quarta-feira, 9 de dezembro de 2009

Eu sei que vou te amar - Uma homenagem à educação!



Olá, amigos! Estou mais sumido aqui do blog devido a vários acontecimentos, dentre eles, a superação do luto, alguém especial já fazendo parte da minha vida e o trabalho intenso e, muitas vezes, estressante.

Dentre moças estressadas metidas a revolucionárias (leia-se TPM - aproveito para expressar aqui a minha repulsa ao feminismo exagerado!) e esposas que o marido dorme de calça (ou frequentadores assíduos de saunas gays) que cruzaram o meu caminho, uma coisa me deixou intrigado, chateado ou até frustrado ultimamente. Fui chamado para dar aula de reforço de português em uma escola particular aqui do DF. Fui posto à prova e deveria elaborar uma prova de recuperação final para os alunos. Dei dois dias de aula de revisão, me preocupando com o conteúdo que iria cair na prova e solucionando possíveis dúvidas. O problema é que eram poucos os que estavam prestando atenção; podia-se contar nos dedos das mãos.

Elaborei então uma prova com base no cronograma e no livro didático adotado pela escola. Eram 20 questões. Apliquei a prova e tive que me virar de um lado para o outro, pois era muita gente colando! (risos)

Quando chego em casa para poder corrigir a prova vem o esperado nem tão esperado assim: um mar de notas baixas! Daí vem a frustração. Como está o ensino hoje em dia nas escolas, mesmo nas particulares? Cadê o acompanhamento dos pais e a cobrança pela responsabilidade dos filhos? Cadê a consciência de cada um daqueles alunos que ficaram de recuperação e a iniciativa de estudar muito para não ter que fazer o mesmo ano novamente?

De uma coisa tenho certeza: como não peguei a turma desde o início, não sou responsável por tal fracasso caso alguém queira apontar o dedo. Expliquei bem e rápido o que pudia e até ganhei elogios de alguns alunos. Mas fica esse questionamento...

Outra vez lanço perguntas aqui em meu blog sobre como está o andamento da educação... Onde está a responsabilidade e o compromisso? As pessoas não estão sendo treinadas para pensar.
E ainda fui obrigado a escutar que a música "Eu sei que vou te amar" era música de velório (reclamo do sentido depreciativo que deram a esse termo). Essa música era uma das questões que coloquei na prova para interpretação de texto.

Em homenagem à educação e pela torcida por uma evolução dela no Brasil, coloco a música aqui. Fica aí o exemplo de que o funk e o axé (argh!) que eles escutam não são músicas perante letras como essa.

Abraço a todos.


EU SEI QUE VOU TE AMAR
(JOBIM, Antônio Carlos & MORAES, Vinícius de. In: Muito – LP Philips nº 6349.382 – 1978. Lado I)

Eu sei que vou te amar,
Por toda a minha vida,
Eu vou te amar.
A cada despedida,
Eu vou te amar.
Desesperadamente,
Eu vou te amar,
E cada verso meu
Será pra te dizer
Que eu sei que vou te amar
Por toda minha vida.
Eu sei que vou chorar,
A cada ausência tua,
Eu vou chorar,
Mas cada volta tua
Há de apagar
O que esta ausência tua me causou.
Eu sei que vou sofrer
A eterna desventura de viver
A espera de viver ao lado teu
Por toda a minha vida.


Obs: amo o amore mio, amo o meu amor! (TUM-TUM)

sexta-feira, 27 de novembro de 2009

Pedaço de mim



Olá, amigos! Devo confessar que o clima no blog está meio pra baixo, mas aqui é o lugar onde eu posso despejar os escapes do dia, do tempo em que estou em outros lugares e tenho que manter um sorriso no rosto. Mas devo confessar que os momentos em que estou passando são oscilantes: ora estou com ânimo, ora bate a saudade. Isso faz parte do processo. Coloco músicas deprê aqui não porque estou mergulhado na depressão; pelo contrário, estou querendo me livrar dela aos poucos e vendo que estou postando isso aqui, vai me dando cada vez mais força para colocar algo alegre da próxima vez. No entanto, tudo a seu tempo. Não vou me forçar nada. Cada tempo deve ser vivido naturalmente. E agora com vocês uma música do mestre Chico Buarque.


PEDAÇO DE MIM
Chico Buarque
Composição: Chico Buarque

Oh, pedaço de mim
Oh, metade afastada de mim
Leva o teu olhar
Que a saudade é o pior tormento
É pior do que o esquecimento
É pior do que se entrevar

Oh, pedaço de mim
Oh, metade exilada de mim
Leva os teus sinais
Que a saudade dói como um barco
Que aos poucos descreve um arco
E evita atracar no cais

Oh, pedaço de mim
Oh, metade arrancada de mim
Leva o vulto teu
Que a saudade é o revés de um parto
A saudade é arrumar o quarto
Do filho que já morreu

Oh, pedaço de mim
Oh, metade amputada de mim
Leva o que há de ti
Que a saudade dói latejada
É assim como uma fisgada
No membro que já perdi

Oh, pedaço de mim
Oh, metade adorada de mim
Lava os olhos meus
Que a saudade é o pior castigo
E eu não quero levar comigo
A mortalha do amor
Adeus

terça-feira, 24 de novembro de 2009

Pra que sofrer se nada é pra sempre?



OLHOS VERMELHOS
Capital Inicial
Composição: Dinho Ouro Preto / Alvin L

Os velhos olhos vermelhos voltaram
Dessa vez
Com o mundo nas costas
E a cidade nos pés
Pra que sofrer se nada é pra sempre?
Pra que correr, se nunca me vejo de frente

Parei de pensar e comecei a sentir
Nada como um dia após dia
Uma noite, um mês
Os velhos olhos vermelhos voltaram de vez

Os velhos olhos vermelhos enganam
Sem querer
Parecem claros, frios, distantes
Não têm nada a perder
Por que se preocupar por tão pouco?
Por que chorar, se amanhã tudo muda de novo?

Parei de pensar e comecei a sentir
Nada como um dia após dia
Uma noite, um mês
Os velhos olhos vermelhos voltaram de vez

Parei de pensar e comecei a sentir
Nada como um dia após dia
Uma noite, um mês
Os velhos olhos vermelhos voltaram de vez

(Vocalização)
Os velhos olhos vermelhos (Na, na, na, na...)


*Cenas do filme "Dom" no clipe.

quarta-feira, 18 de novembro de 2009

Eu tenho vontade de vencer!


Olá, amigos e leitores do meu blog. Desculpem-me pela ausência nesses dias, mas o Ondas do Pensamento sempre existirá enquanto gotas de ideias forem derramadas no oceano. Quem tira um tempinho para ler aqui sabe do que venho passando atualmente. Tirar algum tempo de férias do cotidiano e procurar ocupar a mente com outros pensamentos é uma ótima terapia para poder superar situações difíceis.

Situações de luto fazem você pensar profundamente na vida e na morte. Faz você dar valor à vida e entender que a morte é um processo natural, embora, muitas vezes, inaceitável. A morte é a única certeza de que temos nessa vida. Não sabemos se vamos ficar ricos, pobres, casar, ter filhos, mas sabemos com certeza que iremos morrer. E a vida é um processo frágil. Estamos sujeitos a várias doenças, à maldade das pessoas, a situações inesperadas. A única maneira de ser forte é viver e amar quem está do seu lado. É a maneira que temos para superar.

Já passei por diversas situações em minha vida que contribuíram muito para o meu amadurecimento. Não estou aqui para falar que sou o único que passou por isso, pois sei que cada um tem a sua cruz aqui na Terra. Quero só falar do que contribuiu para o meu amadurecimento. Situações como traição em relacionamentos e amizades me fizeram amadurecer na maneira como me relacionar com as pessoas e nem sempre acreditar 100% no que dizem. Situações como luto me fazem refletir sobre a vida e a morte e também o valor que devemos dar às pessoas que se importam conosco todos os dias.

Embora muita coisa ruim aconteça em nossas vidas, cada uma em situação diferente e com intensidade diferente (a intensidade depende de cada um, por isso, jamais podemos desprezar a dor do outro, mesmo que achemos insignificante o fato), a vontade de vencer deve sempre superar. Devemos nos permitir sair, conhecer lugares, pessoas, sorrir, escutar a música favorita, viver novas situações. Tenho certeza de quem já se foi gostaria de nos ver felizes e tocando a vida. E quem já nos traiu não merece nossas lágrimas porque não souberam nos dar valor.

Às vezes me pego sentindo muita saudade. Poderia perguntar tantas coisas que deixei de perguntar simplesmente porque não os procurei, porque não tive tempo ou porque ainda não tinham acontecido. No entanto, o mundo se renova. Não existirão pessoas iguais aos que já se foram, mas posso contar com que as que ainda habitam este lugar. E é assim que eu devo prosseguir. Há coisas para conquistar e mudar. E é assim que eu devo sonhar.

Por fim, coloco a oração que Deus nos ensinou:

Pai nosso que estais no Céu
Santificado seja o Vosso nome
Venha a nós o Vosso reino
Seja feita a Vossa vontade
Assim na Terra como no Céu

O pão nosso de cada dia nos dai hoje
Perdoai as nossas ofensas
Assim como nós perdoamos a quem nos tenha ofendido
E não nos deixei cair em tentação
Mas livrai-nos de todo mal
Amém!

terça-feira, 10 de novembro de 2009

Mais um luto e a força da superação!



Olá, amigos. Sofri mais um luto em tão pouco tempo. Desta vez, a situação já era esperada há 1 ano e 2 meses. Meu pai se foi. Mas ele agora não está sozinho, pois a minha irmã está lá para cuidar dele e olhar por nós que ainda estamos aqui. Com certeza eles querem que continuemos vivendo e progredindo a cada dia. Não vamos parar de viver a vida. Eu prometo.


A VOLTA DO BOÊMIO
Adelino Moreira
Composição: Adelino Moreira

Boemia, aqui me tens de regresso
E suplicante lhe peço a minha nova inscrição
Voltei, pra rever os amigos que um dia
Eu deixei a chorar de alegria
Me acompanha o meu violão

Boemia, sabendo que andei distante
Sei que esta gente falante vai agora ironizar
Ele voltou, o boêmio voltou novamente
Partiu daqui tão contente
Por que razão quer voltar ?

Acontece que a mulher que floriu meu caminho
De ternura, meiguice e carinho
Sendo a vida do meu coração
Compreendeu e abraçou-me dizendo a sorrir
Meu amor você pode partir
Não esqueça do teu violão
Vá rever os teus rios, teus montes, cascatas
Vá cantar em novas serenatas
E abraçar teus amigos leais

Vá embora, pois me resta o consolo e alegria

Em saber que depois da boemia
É de mim que você gosta mais....

sexta-feira, 30 de outubro de 2009

A fábula do porco-espinho


Olá, amigos do meu blog! A vida é uma caixinha de surpresas, frase clichê que todo mundo já deve ter ouvido. Incrível em tão pouco tempo, várias coisas em minha vida deram uma reviravolta tremenda. Nessas horas é que a gente agradece a Deus por muitas atribulações e sofrimentos que tivemos no passado. Nada acontece por acaso. Se você não consegue superar o sofrimento momentos depois que ele aconteceu, certamente terá experiência e saberá lidar com outros semelhantes no futuro.


Isso se aplica a todas as áreas da vida. Principalmente quando nos relacionamos afetivamente com outras pessoas. Quem sabe se você ler a mensagem abaixo entenda o que quero dizer. Abraço a todos!



A FÁBULA DO PORCO-ESPINHO

Durante a era glacial, muitos animais
morriam por causa do frio.
Os porcos-espinhos, percebendo a situação,
resolveram se juntar em grupos, assim se agasalhavam
e se protegiam mutuamente; mas, os espinhos de cada
um feriam os companheiros mais próximos,
justamente os que ofereciam maior calor.
Por isso decidiram afastar-se uns dos outros
e voltaram a morrer congelados.

Então precisavam fazer uma escolha:
ou desapareceriam da Terra ou aceitavam
os espinhos dos companheiros.
Com sabedoria, decidiram voltar a ficar juntos.
Aprenderam assim a conviver
com as pequenas feridas que a relação
com uma pessoa muito próxima podia causar,
já que o mais importante era o calor do outro.
E assim sobreviveram!

Moral da História:
O melhor relacionamento não é aquele
que une
pessoas perfeitas, mas aquele
no qual cada um aprende
a conviver com os defeitos do outro
e consegue admirar suas qualidades.


Obs: momento de humor meu: o texto fala sobre a aproximação entre porcos-espinhos, mas não encontrei imagens deles mostrando afeto. Aí decidi pelos gatos! rsrsrs

segunda-feira, 26 de outubro de 2009

Eu fugiria



RUNAWAY
The Corrs

Say it's true
There's nothing like me and you
I'm not alone
Tell me you feel it too

And I would runaway
I would runaway, yeah yeah
I would runaway
I would runaway with you

Because I, I'm fallin' in love with you
No, never, I'm never gonna stop
Falling in love with you

Close the door
Lay down upon the floor
And by candlelight
Make love to me through the night

'Cause I have runaway
I have runaway, yeah yeah
I have runaway, runaway,
I have runaway with you

Because I, I'm fallin' in love with you
No, never, I'm never gonna stop
Falling in love with you

With you, my love
With you

And I would runaway
I would runaway, yeah yeah
I would runaway
I would runaway with you

Because I, I'm fallin' in love with you
No, never, I'm never gonna stop
Falling in love with you

I'm fallin' in love with you
No, never, I'm never gonna stop
Falling in love with you

quinta-feira, 22 de outubro de 2009

Uma alegre lembrança



Bom, começo o texto de hoje como se fosse um diálogo, um breve diálogo. Hoje seria o seu aniversário, mas uma data tão especial que poderia ter sido comemorada com um jantar com sua melhor amiga e a sua (verdadeira) família. Sobre o que será que iríamos conversar? Sobre como minha mãe estava, se os objetivos dela estavam sendo cumpridos? A saúde do nosso pai? Como andam meus estudos e os concursos? Iríamos talvez lembrar dos filmes que gostávamos, de situações engraçadas. Não, não poderia haver espaço para o asco porque nem iríamos nos lembrar de certas coisas. Pois é, nós iríamos rir muito e, sem saber, dar muito valor a esse momento.

Saudade!



AVE MARIA
Sarah Brightman


Ave Maria, gratia plena.
Maria, gratia plena
Maria, gratia plena
Ave, ave dominus,
dominus tecum.
Benedicta tu in mulieribus,
et benedictus
et benedictus fructus ventris
ventris tui, Jesus.
Ave Maria.

Sancta Maria,
ora pro nobis,
nobis peccatoribus,
nunc et in hora
mortis nostrae.
Amen


Tradução:

Ave Maria
Cheia de graça
Maria, cheia de graça
Maria, cheia de graça
O Senhor é convosco
Bendita sois vós entre as mulheres
E bendito é o fruto do vosso ventre, Jesus
Ave maria

Santa Maria
Rogai por nós pecadores
Agora e na hora de nossa morte
Amém

quinta-feira, 15 de outubro de 2009

Dia do professor!



Olá, amigos! Hoje é o meu dia! Também pode ser o seu dia! É o dia do professor! Espero que apreciem o texto que escrevi!


SER PROFESSOR

Eta profissão "porreta" (risos). Pra ser professor, primeiro você tem que saber passar conhecimento, saber se expressar bem para que seus ouvintes consigam absorver o máximo de informações e, de alguma maneira, aplicar aquilo em suas vidas. Eu até arriscaria dizer que é ter um grande dom quem sabe ensinar. Ser professor é também saber se doar, se colocar no lugar do outro, ajudá-lo a vencer barreiras, barreiras da ignorância e do preconceito, diga-se de passagem. É também encarar com humildade as diversas realidades dos alunos, pois há ricos e pobres, mas o ensino deve ser o mesmo, sem preconceito algum. Devemos ter peito para encarar as dificuldades que surgem para que a educação chegue com eficiência aos mais pobres.

Ser professor é também ter coragem de enfrentar conceitos já formados e trazidos de casa. É contornar a violência, a agressão e o desrespeito que não foram aprendidos na escola, mas nos caminhos tortos da vida. É fechar os olhos para situações constrangedoras e abri-los bem quando algum aluno acha que consegue te enganar. É saber enxergar o futuro e entender que cada um é capaz de aprender e que poderá se tornar um grande homem ou uma grande mulher daqui a alguns anos. Sim, nós temos o poder de matar pessoas em vida, de traumatizá-las e fazê-las incapaz. É preciso ter cuidado, carinho e atenção, pois estamos cuidando daqueles que poderão chegar ao poder algum dia.

Ser professor é também ficar chupando o dedo enquanto outros profissionais de outras áreas ganham bem mais e trabalham menos (eles por acaso levam trabalho pra casa?). É ter vontade de ensinar e sede de mudar alguma coisa, mesmo que seja só na quadra perto da escola.

Ser professor é ter a profissão mais importante e bonita que existe! Parabéns para todos nós!!!

(Por: Roberto Borges, autor deste blog)

terça-feira, 13 de outubro de 2009

Estrelas em greve


ESTRELAS EM GREVE
(João A. Carrascoza)

Todas as noites, as mulheres se punham diante da televisão para ver as novelas. Os
homens cochilavam no sofá e a criançada brincava com os computadores. Ninguém tinha
tempo de olhar para o céu.

Sem plateia, as estrelas decidiram entrar em greve por tempo indeterminado. A
Lua, solidária com as amigas, aderiu ao protesto e também se escondeu.
Foi um fuzuê no mundo inteiro. As galinhas, que dormiam com a estrela-d'alva,
perderam o sono e deixaram de botar ovos. As corujas pararam de piar. Os tatus não
saíram mais das tocas. Os grilos silenciaram. Os anjos da guarda, que desciam à noitinha
para ninar as crianças, perdiam-se no caminho. As damas da noite não abriram mais suas
pétalas. No escuro, o vento não enxergava nada e não sabia para onde soprar. Os poetas
caíram em desânimo e a produção de poesia imediatamente cessou. Os agricultores
ignoravam se era ou não a época certa para semear. As marés, desorientadas, subiam e
desciam à deriva.

Então, os homens descobriram que aquilo tinha a ver com o sumiço das estrelas.
Chamaram os melhores astrônomos, mas eles não souberam explicar o ocorrido.
Convocaram as feiticeiras para resolver o assunto, elas fizeram lá suas mandingas, mas
não adiantou nada. Estava tudo um caos.

Até que, numa noite, um homem saiu de casa e se pôs a contemplar o céu na
escuridão. Lembrou-se de que a mãe lhe ensinara a posição do Cruzeiro do Sul. Outro se
juntou a ele e recordou as histórias de Lua cheia, quando aparecia o lobisomem. Um velho
ouviu a conversa dos dois e veio contar que, quando criança, tinha visto o Cometa Halley.
Apareceu uma mulher e comentou que só cortava os cabelos na Lua minguante. Outra
mulher falou que, havia alguns anos, vira uma estrela cadente e fizera um pedido. O
marido ouviu-a e disse que o pedido era ter o amor dele para sempre. Outro homem
contou que lhe nascera uma verruga no dedo porque, quando garoto, apontara para as
Três-Marias. Aos poucos, as pessoas foram saindo de suas casas e cada uma tinha sua
história para contar sobre a Lua e as estrelas.
Quando estavam todos na rua olhando o céu vazio, as estrelas, que os observavam
do fundo da noite, apareceram de surpresa, acendendo-se ao mesmo tempo. Foi lindo:
parecia uma chuva de gotas prateadas. Em seguida, despontou a Lua, com seu brilho
magnífico, como um holofote.

Então todos entenderam o motivo daquela greve. E, imediatamente, decidiram em
consenso: podiam ver televisão, dormir no sofá e brincar com o computador todas as
noites. Mas, de vez em quando, iriam dar uma espiadinha no céu para ver o show das
estrelas.

Revista Nova Escola, São Paulo: Abril, nov. 1997. nº 107. p. 30 e 31 (adaptação)

sexta-feira, 9 de outubro de 2009

A música dos valores perdidos


A música dos valores perdidos

“Tem rapariga aí? Se tem levante a mão!”. A maioria, as moças, levanta a mão.

Diante de uma platéia de milhares de pessoas, quase todas muito jovens, pelo menos um terço de adolescentes, o vocalista da banda que se diz de forró utiliza uma de suas palavras prediletas (dele só não, de todas bandas do gênero). As outras são “gaia”, “cabaré”, e bebida em geral, com ênfase na cachaça. Esta cena aconteceu no ano passado, numa das cidades de destaque do agreste (mas se repete em qualquer uma onde estas bandas se apresentam). Nos anos 70, e provavelmente ainda nos anos 80, o vocalista teria dificuldades em deixar a cidade.

O secretário de cultura Ariano Suassuna foi bastante criticado, numa aula-espetáculo, no ano passado, por ter malhando uma música da banda Calipso, que ele achava (deve continuar achando, claro) de mau gosto. Vai daí que mostraram a ele algumas letras das bandas de “forró”, e Ariano exclamou: “Eita que é pior do que eu pensava”. Do que ele, e muito mais gente jamais imaginou.

Pruma matéria que escrevi no São João passado baixei algumas músicas bem representativas destas bandas. Não vou nem citar letras, porque este jornal é visto por leitores virtuais de família. Mas me arrisco a dizer alguns títulos, vamos lá: Calcinha no chão (Caviar com Rapadura), Zé Priquito (Duquinha), Fiel à putaria (Felipão Forró Moral), Chefe do puteiro (Aviões do forró), Mulher roleira (Saia Rodada), Mulher roleira a resposta (Forró Real), Chico Rola (Bonde do Forró), Banho de língua (Solteirões do Forró), Vou dá-lhe de cano de ferro (Forró Chacal), Dinheiro na mão, calcinha no chão (Saia Rodada), Sou viciado em putaria (Ferro na Boneca), Abre as pernas e dê uma sentadinha (Gaviões do forró), Tapa na cara, puxão no cabelo (Swing do forró). Esta é uma pequeníssima lista do repertório das bandas.

Porém o culpado desta “desculhambação” não é culpa exatamente das bandas, ou dos empresários que as financiam, já que na grande parte delas, cantores, músicos e bailarinos são meros empregados do cara que investe no grupo. O buraco é mais embaixo. E aí faço um paralelo com o turbo folk, um subgênero musical que surgiu na antiga Iugoslávia, quando o país estava esfacelando-se. Dilacerado por guerras étnicas, em pleno governo do tresloucado Slobodan Milosevic surgiu o turbo folk, mistura de pop, com música regional sérvia e oriental. As estrelas da turbo folk vestiam-se como se vestem as vocalistas das bandas de “forró”, parafraseando Luiz Gonzaga, as blusas terminavam muito cedo, as saias e shortes começavam muito tarde. Numa entrevista ao jornal inglês The Guardian, o diretor do Centro de Estudos alternativos de Belgrado. Milan Nikolic, afirmou, em 2003, que o regime Milosevic incentivou uma música que destruiu o bom-gosto e relevou o primitivismo estético,. Pior, o glamur, a facilidade estética, pegou em cheio uma juventude que perdeu a crença nos políticos, nos valores morais de uma sociedade dominada pela máfia, que, por sua vez, dominava o governo.

A cantora Ceca foi uma espécie de Ivete Sangalo do turbo folk (ainda está na estada, porém com menor sucesso). Foram comprados 100 mil vídeos do seu casamento com Arkan, mafioso e líder de grupo para-militares na Croácia e Bósnia. Arkan foi assassinado em 2000. Ceca presa em 2003. Ela não foi a única envolvida com a polícia, depois da queda de Milosevic, muitos dos ídolos do turbo folk envolveram-se com a justa pelo envolvimento com a poderosa máfia de Belgrado.

A temática da turbo folk era sexo, nacionalismo e drogas. Lukas, o maior ídolo masculino do turbo folk pregava em sua música o uso da cocaína. Um dos seus maiores hits chama-se White (a cor do pó, se é que alguém ignora), e ele, segundo o Guardian, costumava afirmar: “Se cocaína é uma droga, pode me chamar de viciado”. Esteticamente, além da pouca roupa, a sanfona é o instrumento que se destaca tanto no turbo folk quanto no chamado forró eletrônico, instrumento decorativo, ali muito mais para lembrar das raízes da música tradicional. Ressaltando-se que não se tem notícia de ligação entre bandas de “forró” e crime organizado. No que elas são iguaizinhas é que proliferaram em meio a débâcle de valores estéticos, morais, e éticos, e despolitização da juventude. Com a volta da governabilidade nas repúblicas da antiga Iugoslávia, o turbo folk perdeu a força, vende ainda porém muito menos do que no passado, hoje é apenas uma música popular para se dançar, e não a trilha sonora de um regime condenado por, entre outras lástimas, genocídio.

Aqui o que se autodenomina “forró estilizado” continua de vento em popa. Tomou o lugar do forró autêntico nos principais arraiais juninos do Nordeste. Sem falso moralismo, nem elitismo, um fenômeno lamentável, e merecedor de maior atenção. Quando um vocalista de uma banda de música popular, em plena praça pública, de uma grande cidade, com presença de autoridades competentes (e suas respectivas patroas) pergunta se tem “rapariga na platéia”, alguma coisa está fora de ordem. Quando canta uma canção (canção ?!!!) que tem como tema uma transa de uma moça com dois rapazes (ao mesmo tempo), e o refrão é “É vou dá-lhe de cano de ferro/e toma cano de ferro!”, alguma coisa está muito doente. Sem esquecer que uma juventude cuja cabeça é feita por tal tipo de música é a que vai tomar as rédeas do poder daqui a alguns poucos anos.


Comentário meu: Olá para todos! Navegando por aí pela internet, achei esse texto escrito por José Teles, que é crítico musical do Jornal do Commercio de Pernambuco. Como vimos, o secretário de cultura Ariano Suassuna criticou como anda a atual situação do "forró" no Brasil. Achei que foi um texto que traduz bem o momento crítico que passamos na música brasileira, pois as letras das músicas podem até soar engraçadas para muitas pessoas, mas é tremendamente lamentável que elas se divirtam com isso. Os que curtem e dão audiência a músicas assim só estão contribuindo para a falta de respeito ao próximo, à privacidade e dignidade alheia. É algo extremamente sem cultura, pois entendo que cultura é algo benéfico e que faz parte da evolução de uma sociedade. Nossos filhos/sobrinhos/primos mais novos crescem escutando essas coisas e acham que é normal, que é ser da moda e pra estar inserido em algum grupo. Nós todos temos culpa:


>>Os pais, por acharem que filmes ou internet educam seus filhos;

>>O governo, que não investe em educação de qualidade;

>>A mídia, que só está interessada no lucro dela e que o resto se lasque;

>>A escola, por preparar alunos para o vestibular e não para a vida... Escola é lugar onde se aprendem certos valores e não só para passar numa prova de concurso ou faculdade, já que essas provas não provam nada! Não é à toa que muitos alunos não veem sentido algum na escola...


Por fim, as pessoas não são treinadas a pensar e muito menos a desenvolver senso crítico. Problemas sérios de educação.


Fonte do texto:

http://pernambucobeat.com/2008/05/22/jose-teles-aborda-mais-um-tema-interessante-em-sua-coluna/

segunda-feira, 5 de outubro de 2009

Quando a gente ama



A vida é tão curta e breve como um piscar de olhos. Qual é o receio de amar? Por que não se ama verdadeiramente?

O amor não é loucura. É o sentimento que dá sentido à vida.

sábado, 3 de outubro de 2009

Rio - 2016



Olá para todos! Interessante mesmo o Rio de Janeiro ter sido escolhido para sediar os Jogos Olímpicos de 2016! Parabéns à cidade, afinal, é a Cidade Maravilhosa sendo escolhida. Chicago, Madri ou Tóquio podem ser super desenvolvidas e ter uma estrutura e uma arquitetura invejada pelo resto do mundo, mas somente o Rio de Janeiro tem aquilo que elas não têm: a arquitetura feita pela natureza, feita por Deus. Não há como vencer essa beleza!
Claro que há outros motivos que pesaram... até porque a América do Sul nunca sediou Jogos Olímpicos algum...

Comemoração pra lá e comemoração pra cá e muito dinheiro vai ser investido aí. É só lembrar que temos a Copa do Mundo de 2014 aqui no Brasil. Nosso país realmente tem condições de oferecer o mínimo que se pede de uma estrutura eficiente? De onde sairá esse dinheiro para esse investimento? Da educação? Da saúde? Claro, eventos desse nível e desse porte atraem capital estrangeiro e muito dinheiro irá rodar pelo Brasil na próxima década. Agora vem mais uma pergunta: e depois desses eventos, o dinheiro que entrou no país será finalmente aplicado na educação, na saúde e em tantas outras áreas carentes de verba?

Linda a comemoração de que sediaremos uma Copa do Mundo e os primeiros Jogos Olímpicos na América do Sul. Mais lindo ainda será quando pudermos comemorar um grande investimento na educação e na saúde. Quero poder ver uma comemoração ainda maior passando na TV quando isso acontecer.

sábado, 26 de setembro de 2009

Chanda Mama



Olá, amigos do meu blog! Estou melhorando a cada dia, arranjando motivos para continuar vivendo e mais motivos ainda pra ser feliz. Essa é a minha batalha diária!
Pra comemorar, coloco aqui um vídeo muito interessante. Chama-se "Chanda Mama". Quem me indicou o vídeo deve rir quando ver este post, mas é que eu o achei muito interessante. Chanda Mama é uma canção folclórica de Chennai, na Índia, lugar onde começou a ser tocada e, posteriormente, levada ao redor do mundo. Foram acrescentados músicos do mundo todo antes de, finalmente, ser entregue ao povo de sua origem. Espero que curtam. Um grande abraço a todos!

quarta-feira, 23 de setembro de 2009

Escute seu coração



Dando continuidade ao post anterior. Abraços para todos os leitores e blogueiros!


LISTEN TO YOUR HEART
(Roxette)
Escute Seu Coração

I know there's something in the wake of your smile
Eu sei há algo após seu sorriso.
I get a notion from the look in your eyes, yea
Eu obtenho uma noção do olhar em seus olhos, sim.
You've built a love but that love falls apart
Você construiu um amor, mas aquele amor se quebra.
Your little piece of heaven turns too dark
Seu pedacinho do paraíso, muda pra escuridão

Listen to your heart
Escute seu coração
when he's calling for you
Quando ele chamar por você
Listen to your heart
Escute seu coração
there's nothing else you can do
Não há nada mais que você pode fazer.
I don't know where you're going
Eu não sei aonde você vai
and I don't know why,
E eu não sei por que,
but listen to your heart
Mas escute seu coração
before you tell him goodbye
Antes de você lhe dizer adeus.

Sometimes you wonder if this fight is worthwhile
Às vezes você deseja saber se esta briga valeu a pena.
The precious moments are all lost in the tide, yea
Os momentos preciosos estão todos perdidos na maré, sim.
They're swept away and nothing is what is seems,
Eles são varridos e nada é o que parece,
the feeling of belonging to your dreams
O sentimento de pertencer a seus sonhos.

...

And there are voices that want to be heard
E há vozes que querem ser ouvidas.
So much to mention but you can't find the words
Tanto a mencionar, mas você não consegue achar as palavras.
The scent of magic, the beauty that's been
A essência de magia, a beleza que havia
when love was wilder than the wind
Quando amor era mais selvagem que o vento.

Listen to your heart...
Escute seu coração...

segunda-feira, 21 de setembro de 2009

Siga o seu coração


SIGA O SEU CORAÇÃO

Em tantos caminhos alternativos
Dentre outros tantos atrativos
Sedutores, brilhantes como o ouro
Siga apenas o seu coração

Siga o que você sente
Sem nenhum medo de errar
Nem de ser cacoado ou ridicularizado
Muitas vezes é melhor sentir o errado
Do que se frustrar pelo dito certo

Como saber se não tentar?
Quando é que vou dar chance ao coração?
Vamos pré-definir a nossa vida sem dar uma opinião?
Até quando as pessoas vão me direcionar?

Medo de tentar o novo
Se acomodar no que ainda é presente
Não...
Siga apenas o seu coração
E liberte-se


(Por: Roberto Borges)

terça-feira, 15 de setembro de 2009

Caronte


CARONTE


Caronte, juntos agora remaremos:
eu com a música, tu com os remos.

Meus pais, meus avós, meus irmãos,
já também vieram, pelas tuas mãos.

Mas eu sempre fui a mais marinheira:
trata-me como tua companheira.

Fala-me das coisas que estão por aqui,
das águas, das névoas, dos peixes, de ti.

Que mundo tão suave! Que barca tão calma!
Meu corpo não viste: sou alma.

Doce é deixar-se, e ternura o fim
do que se amava. Quem soube de mim?

Dize: a voz dos homens fala-nos, ainda?
Não, que antes do meio sua voz é finda.

Rema com doçura, rema devagar:
não estremeças este plácido lugar.

Pago-te em sonho, pago-te em cantiga,
pago-te em estrela, em amor de amiga.

Dize, a voz dos deuses onde principia,
neste mundo vosso, de perene dia?

Caronte, narra mais tarde, a quem vier,
como a sombra trouxeste aqui de uma mulher

tão só, que te fez seu amigo;
tão doce - adeus! - que canta até contigo!


(Cecília Meireles)


*Caronte (em grego, Χάρων — o brilho) era uma figura mitológica do mundo inferior grego (o Hades) que transportava os recém-mortos na sua barca através do Aqueronte, rio que delimitava a região infernal, até o local no Hades que lhes era destinado. Era costume grego colocar uma moeda, chamada óbolo, sob a língua do cadáver, para pagar Caronte pela viagem. Se a alma não pudesse pagar ficaria forçosamente na margem do Aqueronte para toda a eternidade, e os gregos temiam que pudesse regressar para perturbar os vivos. Caronte era muitas vezes retratado com uma máscara de bronze na qual ocultava sua verdadeira face macabra que faria os recém-mortos repensarem em entrar na barca caronte recebeu esta tarfa após ter tentado roubar a caixa de pandora,surpreendido por Zeus ele foi mandado para o Erebus onde deveria cumprir sua tarefa.

Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Caronte

quarta-feira, 9 de setembro de 2009

Nada como um dia após o outro



Olá. Venho aqui hoje nesta data curiosa (09/09/09) falar mais sobre mim. Não vou me estender muito, pois acho que nem tenho tanto pra falar assim. Os dias têm passado nublados e vagarosos na minha percepção. Todos os dias eu tenho refletido sobre o que aconteceu e é claro que cada vez mais a intensidade dessas reflexões tem diminuído. Nada como o tempo pra ajudar e acalmar situações complexas de nossa vida.

A situação passada foi triste pra mim. Já passei por outros maus bocados, mas nada comparado à perda da minha irmã. O que me conforta, como já disse, é que tenho confiança e certeza de que ela está em um lugar muito bom. Os laços familiares têm me ajudado a evoluir, assim como as mensagens e as visitas de amigos preocupados com o meu bem-estar. Recebi mensagens até de quem eu nunca mais tinha entrado em contato. Coisa surpreendente mesmo.

A vontade de superar, o carinho da família, o apoio dos amigos e principalmente a fé em Deus são elementos fundamentais para uma evolução, afinal, a vida continua. Sei que Deus nos testa a todo momento e não nos põe uma situação em que não vamos dar conta. Acredito que agora a minha irmã pertence a outra realidade e não me cabe prendê-la aqui. A saudade ficará com certeza. E um dia nós nos reencontraremos!


QUANDO O SOL BATER NA JANELA DO SEU QUARTO
Legião Urbana
Composição: Dado Villa-Lobos/Renato Russo/Marcelo Bonfá

Quando o sol bater
Na janela do teu quarto,
Lembra e vê
Que o caminho é um só,

Porque esperar
Se podemos começar
Tudo de novo?
Agora mesmo,

A humanidade é desumana
Mas ainda temos chance,
O sol nasce pra todos,
Só não sabe quem não quer,

Quando o sol bater
Na janela do teu quarto,
Lembra e vê
Que o caminho é um só,

Até bem pouco tempo atrás,
Poderíamos mudar o mundo,
Quem roubou nossa coragem?
Tudo é dor,
E toda dor vem do desejo,
De não sentimos dor,

Quando o sol bater
Na janela do teu quarto,
Lembra e vê
Que o caminho é um só.

sexta-feira, 4 de setembro de 2009

Lígia - Psicologia em luto!


Olá, amigos leitores do meu blog. A semana foi um tanto difícil pra mim. Perdi um ente querido, uma irmã, a primeira dos sete filhos, aquela que me incentivou muito, que acreditou em mim. Lígia é o seu nome. Ainda lembro de quando eu era pequeno, passava alguns dias em sua casa, assistia filmes da Turma da Mônica, era presenteado com alguma novidade, com algum brinquedo bom e legal. Ela realmente tinha apostado muita coisa em mim. Aprendi a ler e a escrever precocemente porque ela sempre lia historinhas em quadrinhos pra mim. A empolgação da leitura me deixava curioso pra poder caminhar com minhas próprias pernas e ter mais vontade de aprender sozinho.

Ah, como você foi muito importante pra mim... Sempre me elogiava, acreditava em mim, ficava feliz com as minhas notas altas na escola. Eu sempre ganhava presentes no aniversário, dia das crianças, natal... Na época da coleção dos bonequinhos dos Cavaleiros do Zodíaco, você me deu dois. Sabia o quanto era especial pra mim ter toda aquela coleção. Você contribuiu para isso. Por isso, sempre gostei dos seus filhos, seus dois filhos. Sempre brinquei com eles, dei atenção, ensinei coisas. Era minha missão e minha obrigação cuidar bem deles.

Chegou, então, a vida adulta. Você me ajudou a fazer um cursinho pré-vestibular e depois ajudou a cursar uma faculdade. Como eu fiz questão de ter notas acima de 8 só pra corresponder à fé que você depositou em mim. Tirei um 10 na monografia e o seu nome está lá especialmente para agradecer pelo apoio. E você ainda fez questão de ir ver minha colação de grau. Um momento único que nunca mais se repetirá, pois a família toda estava lá... Hoje, dois pedaços dessa família não estão mais presentes...

Também fiquei muito feliz quando você terminou a faculdade de psicologia. Fiquei apenas meio chateado pensando que você convidaria certas pessoas para irem à sua colação de grau e ao seu baile, mas me animei quando você disse que aquela bruxa não iria... Foi ótimo. Me diverti muito. Eu esperava vê-la feliz, muito feliz. Longe dessa outra família de carrascos, estúpidos, falsos, mentirosos e arrogantes. Não mereciam a sua ilustre presença. Você tinha brilho próprio e despertava a inveja alheia, pois jamais serão o que você foi. Mas você se foi...

O Céu está em festa, mas nós aqui ficamos muito tristes. Minha mãe perdeu a princesa dela. Os dias têm sido muito difíceis... pensamentos, reflexões, querendo achar algo ou alguém para colocar a culpa... Não adianta, nada vai te trazer de volta. Até porque foi difícil e ainda está sendo difícil de acreditar em tudo o que aconteceu. Será que algum dia acordaremos deste pesadelo horrível? Mesmo depois de ter te visto dormindo eternamente linda e elegante, não acredito... Foi um infarto fulminante, uma morte silenciosa. Foi dormindo, aparentemente sem sofrer muito, até porque não havia sinais de dor e nem seus filhos perceberam algo de diferente nas horas e dias anteriores. Ah, que saudade...

A gente pensa que vai ter as pessoas para sempre ou pelo menos por algum tempo, aí vem a vida e dá mais essa lapada... Não sei que tipo de provação Deus está colocando em nossas vidas, até porque já temos uma outra situação a caminho. Era essa a que todos estavam esperando que acontecesse de uma hora pra outra e não você... Foi um choque, um tremendo choque. Logo você, era uma boa filha, uma boa irmã, uma boa mãe, uma boa companheira de trabalho, uma boa colega de faculdade... Todos te admiram muito.

Deus falou que iria te dar uma vitória e uma moradia muito feliz. Você se livraria daquele grude em sua alma que não conseguia se livrar. Interpretamos de um jeito achando que fosse em um outro lugar físico, mas os planos de Deus foram outros. Você está do lado dEle agora. Aquelas outras pessoas ainda terão que viver e pagar em vida pela sacanagem e inveja contra você. Irão sofrer muito. Sou um humano pecador e por isso digo que quero assistir de camarote a esse sofrimento... Traições do outro lado da família não vão apagar o que você foi, principalmente agora que a sua imagem ficará eterna. Você venceu!

As cortinas do show de sua vida agora se fecham, mulher admirável, psicóloga, boa filha, boa mãe, boa irmã, mulher de brilho próprio...

A seguir, os meus eternos aplausos.

domingo, 30 de agosto de 2009

Dia de domingo - Parte 1 - Everything Changes (Staind)




Olá, amigos frequentadores do meu blog! Sabe aqueles domingos que não temos nada pra fazer a não ser cuidar da casa ou esperar o dia todo passar para chegar logo a segunda-feira e nos distrair com o trabalho? Pois é, pela atual fase da minha vida, acho que estou passando por esses dias. Nada melhor, então, do que escutar boas músicas e esperar o tempo passar enquanto refletimos na vida. Tudo vai se resolver, é apenas questão de tempo! Abração de urso e fiquem com as bandas Staind, Metallica e Roupa Nova!


EVERYTHING CHANGES
(Staind)
Tudo Muda


If you just walked away
Se você apenas fosse embora
What could I really say?
O que eu poderia dizer?
would it matter anyway?
Será que faria diferença?
would it change how you feel?
Mudaria a maneira como você se sente?

I am the mess you chose
Eu sou o problema que você escolheu
the closet you can not close
O armário que você não consegue fechar
The devil in you I suppose
O demônio dentro de você eu suponho
'cuz the wounds never heal
Porque as feridas nunca cicatrizam

But everything changes
Mas tudo muda
if I could turn back the years
Se eu pudesse voltar anos atrás
If you could learn to forgive me
Se você aprendesse a me perdoar
then I could learn to feel
Então eu aprenderia a sentir

Sometimes the things I say
Às vezes as coisas que digo
In moments of disarray
Em momentos de desavença
Succumbing to the games we play
Sucumbindo aos jogos que jogamos
To make sure that it's real
Pra ter certeza de que é real

When it's just me and you
Quando somos só eu e você
Who knows what we could do
Quem sabe o que podemos fazer
If we can just make it through
Se pudéssemos superar
through this part of the day
Através dessa parte de dia


Then we could
Então poderíamos
Stay here together
Ficar aqui juntos
And we could
E poderíamos
Conquer the world
Conquistar o mundo
If we could
Se pudéssemos
Say that forever
Dizer que para sempre
It's more than just a word
É mais do que uma simples palavra

If you just walked away
Se você fosse embora
What could I really say?
O que eu poderia dizer?
It wouldn't matter anyway.
Não faria diferença mesmo.
It wouldn't change how you feel
Não mudaria como você se sente.

Parte 2 - Hero of the Day (Metallica & San Francisco Symphony Orchestra)




HERO OF THE DAY
(Composição: Hetfield / Ulrich / Hammett)
Herói do Dia


Mama they try and break me...
Mãe eles tentam e me quebram

The window burns to light the way back home
A janela queima para iluminar meu caminho de volta
A light that warms no matter where they go
Uma luz que aquece não importa onde tenham ido
They're off to find the hero of the day
Eles saíram para achar o herói do dia
But what if they should fall by someone's wicked way
Mas o que iria acontecer se pudessem cair pelo caminho distorcido de alguém

Still the window burns
Ainda queima a janela
Time so slowly turns
O tempo passa tão lentamente
And someone there is sighing
E alguém está sorrindo
Keepers of the flames
Guardiões da chama
Do ya feel your name?
Você sente seu nome?
Can't you hear your babies crying?
Não pode ouvir seus bebês chorando?

Mama they try and break me...
Mãe eles tentam e me quebram
Still they try and break me...
Ainda continuam tentam e me quebram

Excuse me while I tend to how I feel
Desculpe-me enquanto eu cuido de como me sinto
These things returns to me that still seem real
Essas coisas retornam a mim, ainda parecem reais
Now deservingly this easy chair
Agora pedindo por esta cadeira de balanço
But the rocking stopped by wheels of despair
Mas o balanço parou pelas rodas do desespero

Don't want your aid
Não preciso de sua ajuda
But the fist I've make
Mas o primeiro que fiz
For years can't hold or feel
Por anos não pode segurar ou sentir

No I'm not all me
Não, eu não sou totalmente eu
So please excuse me while I tend to how I feel
Então por favor me desculpe enquanto eu cuido de como me sinto

But now the dreams And waking screems
Mas agora os sonhos e gritos ao despertar
That everlast the night
Na última noite de todas
So build a wall Behind it crawl
Então construa o muro, rasteje escondido
And hide until it's light
E esconda-se até que haja luz
So can't you hear your babies crying now?
Então você pode ouvir seus bebês chorando agora?

Parte 3 - A viagem (Roupa Nova)




A VIAGEM
Roupa Nova
Composição: Cleberson Horsth - Aldir Blanc

Há tanto tempo que eu deixei você
Fui chorando de saudade
Mesmo longe não me conformei
Pode crer
Eu viajei contra a vontade

O teu amor chamou e eu regressei
Todo amor é infinito
Noite e dia no meu coração
Trouxe a luz
Do nosso instante mais bonito

Na escuridão o teu olhar me iluminava
E minha estrela-guia era o teu riso
Coisas do passado são alegres
Quando lembram novamente
As pessoas que se amam...

Em cada solidão vencida eu desejava
O reencontro com teu corpo abrigo
Ah! Minha adorada
Viajei tantos espaços
Pra você caber assim no meu abraço

Te amo!

quinta-feira, 27 de agosto de 2009

O direito de sonhar...


O DIREITO DE SONHAR...


Todos nós temos sonhos. Somos os únicos animais que sonham. Temos objetivos, determinações e desafios que criamos no lego da imaginação. Há algumas pessoas que já nascem determinadas; há outras que ainda não entenderam os seus sonhos ou apenas amam o fato de sonhar com a vida. São os sonhos que nos movimentam, são eles o nosso combustível para a ingrata ou talvez quem sabe amada vida. Sonhamos com a pessoa amada, com o fato de possuir algum bem ou até mesmo com a esperança de alcançar a paz, a felicidade e a liberdade. Mas não basta sonhar; é preciso acreditar, é preciso correr atrás, é preciso sofrer as cicatrizes do árduo destino, mas vale a pena sonhar... É preciso também apoio, bem como carinho, incentivo, ser ouvido na hora do desabafo, ser aclamado na hora da vitória. O homem que não sonha não vive. Ele apenas aceita as regras do mundo sem contestar e acaba se amargurando diante da vida. A vida é um jogo de desafios, os inimigos são as opressões, mas nossas armas são os sonhos. Há os que sonham e que jamais conseguem realizar seus objetivos porque, às vezes, lhe faltaram oportunidades ou simplesmente força de vontade. Os sonhos são os ideais de uma vida melhor, de uma fuga de uma realidade, de uma missão na Terra, de uma personalidade rara no mundo. Por esse simples motivo, não destrua os sonhos de um homem para não destruir o sentido de uma grandiosa vida.

Por: Roberto Borges

domingo, 23 de agosto de 2009

O que é o AMOR? (post especial)


Olá, amigos. Na época de faculdade, ao finalizar sua apresentação, um grupo de colegas levou uma mensagem para a turma. Essa mensagem não era qualquer uma, mas sim A MENSAGEM. É um texto que ocupa apenas um lado de uma folhinha pequena, já que a letra está minúscula, mas que contém uma grande mensagem de amor mesclada a músicas da nossa MPB. O texto intercala uma descrição de "estar apaixonado" com as músicas. Confira:


O QUE É O AMOR?

O poeta diz que o amor, quando desabrocha, é tal qual uma avalanche que devora quem está descuidado...
Porém, também, o poeta fala que estar apaixonado, enamorado, é esquecer de si mesmo e mergulhar na aventura da paixão sem censura e sem pudor.
Enamorar-se é deixar a razão de lado e permitir que a emoção borbulhe incessantemente povoando a mente até se permitir desvendar o torturante e fantástico enigma do amor e da paixão.
Dizem que a música é excelente terapia.
Você está aí parado, deixando que a química do amor e da paixão desfaleça, acorde! Surpreenda-se e declare-se apaixonadamente por uma causa, por um sonho, por alguém. Quem sabe, pela vida mesmo!
Cante:

"Não estou disposto a esquecer seu rosto de vez, eu acho que é tão normal. Dizem que sou louco por eu ter um gosto assim, gostar de quem não gosta de mim. Jogue suas mãos para os céus e agradeça se acaso tiver alguém que você gostaria que estivesse sempre com você na rua, na chuva, na fazenda ou numa casinha de sapê".

Que bom, hein? E por que não deixar os melindres de lado e cantar para alguém que deseja tanto e não tem coragem de dizer:

"Eu preciso te falar, te encontrar de qualquer jeito, pra sentar e conversar, depois andar de encontro ao vento. Eu preciso respirar o mesmo ar que te rodeia e na pele quero ser o mesmo sol que te bronzeia, eu preciso te tocar e ver a vida acontecer como um dia de domingo".

Daí, meus caros, o amor vinga e a paixão vinga e tudo vinga de fato... daí você poderá surpreender-se e começar a declarar:

"Eu tenho tanto pra te falar, mas com palavras não sei dizer como é grande o meu amor por você...".

E você aos poucos percebe que vai ficando abobalhado e continua passageiro das asas da emoção e canta:

"Quisera ser um peixe para em seu límpido aquário mergulhar, fazer borbulhas de amor pra te encontrar, passar a noite em claro dentro de ti, um peixe para enfeitar de corais sua cintura, fazer silhueta de amor à luz da lua..."

E, olhe... Cuide-se! Não deixe sua paixão escorrer por entre os dedos. Quem não gosta de experimentar o sentimento? Alguém poderá cantar:

"Por que você me deixa tão solto? Por que você não cola em mim? To me sentindo muito sozinho. Quando a gente gosta é claro que a gente cuida, fala que me ama só que é da boca pra fora... Ou você me engana ou não está maduro. Onde está você agora?"

Mas também não estresse. Se você está no estágio capaz de entusiasmar-se pelo amor, pela paixão, pense melhor e busque alcançar o sonho dos poetas, cante como um artista:

"Viver e não ter a vergonha de ser feliz, cantar e cantar e cantar a beleza de ser um eterno aprendiz. Eu sei que a vida seria bem melhor e será, mas isso não impede que eu repita: é bonita, é bonita e é bonita..."

E aí, sem escrúpulos, ultrapasse as barreiras do impossível, porque estas não existem e cante para a vida:

"Deixa eu dizer que te amo... deixa eu gostar de você... Isso me acalma, me acolhe a alma, isso me ajuda a viver. Hoje contei pras paredes coisas do meu coração, passando o tempo, caminha as horas, mas o que não passa é a paixão..."

E então você verá que "nada do que foi será de novo do jeito que já foi um dia..."

sexta-feira, 21 de agosto de 2009

Quero tempo pra falar a respeito de nós dois

Olá, amigos do meu blog. Ando um pouquinho ausente, mas sem nunca deixar aqui de lado. Às vezes parece que tenho tantas ideias e quero colocar várias em um dia só, mas me controlo para não fazer isso e ficar com informação demais; outras vezes, procuro, procuro e procuro... e fico sem ideia do que colocar aqui.

Hoje eu coloco uma das músicas que mais gosto da banda Reação em Cadeia. Ela fala do tempo que precisamos dar um ao outro. Amigos e principalmente namorados às vezes precisam de um tempo. Tempo pra ficar sozinho, refletir, analisar o seu amor... Esta música traduz o meu atual momento e eu quero e preciso de tempo para decidir o que é melhor pra mim. Abração e beijão!


AO TEMPO
Reação Em Cadeia
Composição: Jonathan Corrêa


Eu quero um tempo
Pra falar
A respeito de nós dois
Quanta coisa quero lhe contar
Não quero deixar pra depois
Com você pude aprender
Que a vida é feita pra viver
Estou cansado
Deste lance de sofrer

O tempo vai mudar
As coisas de lugar
O tempo vai curar a dor

Quanta coisa eu faria
Somente por você
Eu vou a pé
Daqui à Lua e
Você nem vai perceber
O silêncio me falou
Deste tempo que passou
Que o tempo pode consertar
Aquilo que se quebrou

O tempo vai mudar
As coisas de lugar
O tempo vai curar a dor

sábado, 15 de agosto de 2009

Eu não tenho nada




I HAVE NOTHING

Whitney Houston

(EU NÃO TENHO NADA)


Share my life
Take me for what I am
Cause I'll never change
All my colors for you
Take my love
I'll never ask for too much
Just all that you are
And everything that you do


Divida a minha vida
Me aceite pelo que eu sou
Porque eu nunca irei mudar
Todas as minhas cores por você
Pegue meu amor
Eu nunca pedirei muita coisa
Apenas aquilo que você é
E tudo aquilo que você faz

I don't really need to look very much further
I don't want to have to go where you don't follow
I won't hold it back again,this passion inside
Can't run from myself there's no where to hide


Eu não preciso realmente olhar
Muito além
Eu não quero ter que ir
Aonde você não me siga
Eu estou guardando novamente
A paixão aqui dentro
Não posso fugir de mim mesma
Não tem aonde me esconder

Don't make me close one more door
I don't want to hurt anymore
Stay in my arms if you dare
Or must I imagine you there
Don't walk away from me
I have nothing, nothing, nothing
If I don't have you


Refrão:
Não me faça fechar mais uma porta
Eu não quero machucar novamente
Fique em meus braços se você se atrever
ou devo imaginar você ali?
Não vá para longe de mim
Eu não tenho nada
Nada
Se eu não tenho você

You see through right to the heart of me
You break down my walls
With the strength of your love
I never knew love like I've known it with you
Will our memory survive
One I can hold on to


Você vê através
Direto em meu coração
Você derruba meus muros
Com a força do seu amor
Eu nunca conheci
O amor como eu conheci com você
Será que nossas lembranças vão sobreviver?
Uma eu posso segurar

I don't really need to look very much farther
I don't want to have to go where you don't follow
I'm hold back again this passion inside I can't run from
Myself there's nowhere to hide
Your love I'll remember forever


Eu não preciso realmente olhar
Muito além
Eu não quero ter que ir
Aonde você não me siga
Eu estou guardando novamente
A paixão aqui dentro
Não posso fugir de mim mesma
Não tem aonde me esconder
Seu amor vou me lembrar para sempre

Don't make me close one more door
I don't want to hurt anymore
Stay in my arms if you dare
Or must I imagine you there
Don't walk away from me
I have nothing, nothing, nothing
If I don't have you


Refrão (2X)

Don't make me close one more door
I don't want to hurt anymore stay in
My arms if you dare
Or must I imagine you there
Don't walk away from me no,
Don't walk away from me
Don't you dare walk away from me
I have nothing, nothing, nothing
If I don't have you you
If I don't have you
Oh, oh, oh


Não ande para longe de mim
Não ande para longe de mim
Não se atreva a andar para longe de mim
Eu não tenho nada
Nada
Nada, seu eu não tenho você
Você, se eu não tenho você

terça-feira, 11 de agosto de 2009

Não quero respostas


NÃO QUERO RESPOSTAS


Tem tanta coisa desarrumada lá dentro
Foi uma chuva de sentimentos que desabou
Um longo período de reflexões
Tardes perdidas de depressão

Amar a diferença exorbitante é bem árduo
Doa-se sangue, doa-se a alma, doa-se o seu ser
E quem é que vai cuidar de mim?
Quem é que vai sustentar esse coração já antes angustiado?

Que mais serviços contratar? Que mais possibilidades pensar?
A luta agora é entre o receio e o sorriso no rosto
Tentar até morrer
Ou sentir a liberdade da solidão?

Por que não é tudo mais simples?
Como esse amor se sustentou na dispersão?
Estou carente de carinho e atenção
Seria mais fácil se pudesse comprar esses sentimentos
E eles fossem originais e durassem pra sempre

Não, não quero pensar; quero evoluir
Quero alcançar, me libertar, progredir
Quero pedir a Deus inteligência e equilíbrio
Não quero respostas
Quero sentir, quero vivenciar um grande amor


(Por: Roberto Borges, poeta e autor deste blog)

*Imagem retirada da internet.

quinta-feira, 6 de agosto de 2009

Geração dos sonhos



GERAÇÃO DOS SONHOS
(5º encerramento do anime Yu Yu Hakusho)

A dor que traz o adeus de alguém que vive em meus sonhos,
Quero estar mais perto
Dessa luz que é o seu olhar,
No frio da cidade
Eu só vejo solidão
A força da bondade tão distante da ilusão,

Eu só quero tocar em suas mãos
Te ter mais perto de mim
E sentir o abraço teu
Que esse momento nunca tenha fim,

Nem que o vento sopre enquanto a chuva cai
E leve pra longe esse sonho,
Não vou ligar se me machucar
Não existe mal se o sonho é real,

Nem que o vento sopre enquanto a chuva cai
E leve pra longe esse sonho

Nem que o vento sopre enquanto a chuva cai
Tudo que eu preciso é ter você...

Nem que o vento sopre enquanto a chuva cai
E leve pra longe esse sonho,

Nem que o vento sopre enquanto a chuva cai
Tudo que eu preciso é ter você.

Comentário meu: uma música bem tranquila e meio deprê. É um dos melhores encerramentos do anime japonês Yu Yu Hakusho, que passou na extinta Rede Manchete no finalzinho dos anos 90. Como assisti poucas coisas do anime, não vou comentar muito, até porque eu ainda não tive tempo de revê-lo. Porém, é importante destacar que foi um anime à altura de Cavaleiros do Zodíaco e o substituiu muito bem quando terminou de passar a saga dos defensores de Athena. A música representa um pouco da mistureba de sentimentos que estou vivendo atualmente. Alegrias, reflexões, lembranças... Bom, isso será assunto para o próximo post! Abração e beijão para os leitores!

sábado, 1 de agosto de 2009

Gatos discutindo



Olá, amigos! Esse vídeo acima já é antigo, mas vou deixar aqui no meu blog por ser muito engraçado. Me fez rir lá no fundo da alma, momento assim que fazia muito tempo que eu não tinha. O negócio é deixar de focar em problemas e coisas que deixam a vida mais amarga e saber que podemos sim sorri com vontade feito uma criança. Vídeo 10!

quarta-feira, 29 de julho de 2009

As revoltas do meu tempo de jovem*


Dizem que muitas coisas melhoraram hoje em dia, que não estamos mais em uma ditadura, que não temos (por enquanto) uma guerra mundial, conseguimos mais direitos, etc. Mas, como conheço o passado apenas por livros ou por histórias contadas pelos mais velhos, não acredito que as coisas tenham melhorado tanto. Digo que ficamos na estaca zero ou que as coisas sim estão piores do que no passado. Serei mais específico: falo da geração de jovens da minha idade nos tempos atuais.

Assistindo ontem um pouco de TV, vi passar uma reportagem sobre gangues de Brasília. É uma coisa que assusta a todos nós. Para onde estamos caminhando com tudo isso? Disputas por territórios, egos ou simplesmente desejo de matar. Eu posso afirmar que hoje eu não ando com tranquilidade por aí, pois posso ser vítima sem motivo algum. Acredito sim que havia violência tão cruel no passado, mas com algum motivo... (não que isso justifique o fator violência). No entanto, hoje se morre por nada.

Jovens sem educação, jovens na pobreza e na falta de cultura (abro um parêntese para dizer que todos temos cultura, mas a que me refiro é uma cultura que leva à reflexão e, me perdoem os jovens de hoje, mas eles não tem quase nada de cultura que leve à reflexão). Está na moda escutar certas bandinhas de forró e axé que simplesmente têm letras de duplo sentido que não valorizam o respeito ao próximo e nem se preocupam com isso. E isso está na cabeça e na mente do jovem de hoje. Para ele, é só aquilo que existe e pronto.

Fui ao show de 49 anos de Brasília e fiquei horrorizado com muitas coisas que vi. Jovens brigando uns com os outros por nada, espancando, esfaqueando... Xingando artistas e usando drogas. Aliás, é bem modinha da geração atual usar algum tipo de droga para se aparecer para os outros. Muitos usam também como fuga dos problemas, mas acontece que o efeito da droga passa e os problemas ainda continuam lá. Ninguém se arrisca a ir pelo método mais difícil, que é o do diálogo e o de enfrentar as situações. Estão se transformando em seres irracionais - não é porque eu estou dizendo, mas sim pelas próprias atitudes deles que confirmam estas palavras.

Se o estado não tem um bom governante, a população desanda. E muito. É só usar o DF como exemplo. Um certo governadorzinho aí, anos atrás, dava lotes de graça pra qualquer um. Claro, devemos dar oportunidade a todos. Mas daí ganhar lotes no meio do nada, sem escolas, sem cultura, sem lazer decente... o que acaba virando? Um lugar de extrema pobreza, escola ideal para ladrões, assassinos, etc. O povo que mora nesses lugares parece não se interessar pela educação, tanto que em pesquisas populares, eles cobram coisas do tipo "transporte", "policiamento", etc. Não cobram educação. Educação é um método mais difícil e exige esforço para que aconteça. Ela não surge de uma hora para outra como um asfalto ou uma ponte. Mas educação leva à reflexão, coisa que muitos de nossos políticos não estão nem um pouco interessados, pois isso pode ir contra eles.

O jovem de hoje acha que pode tudo. Coitado, mal sabe ele que não tem um pingo de maturidade para muitas coisas. O jovem tem filhos ainda novos (não que não possa ter, mas ninguém pensa no futuro da criança na questão da educação e da estrutura familiar), agridem professores e usam armas de fogo sem estranhamento algum. O que fazer pra resolver? Infelizmente, acho que a TV contribui muito, pois jovens se espelham em bandidos que são exaltados pela mídia. Ou seja, esses bandidos têm a história toda contada e dramatizada na telinha e as pessoas (falo daquelas que aceitam passivamente o que a TV coloca sem contestar nada e não são acostumadas a ler) acabam transformando todos eles em mitos, em heróis.

Estamos cada vez mais enjaulados, reclusos e calados diante da violência e da falta de educação de uma nova geração de jovens. Não se prega mais o valor da vida, do respeito ao próximo, até porque a escola hoje só ensina para passar no vestibular.

Até que dia sobreviveremos?

Quando é que deixaremos de sustentar políticos safados? (detalhe: os filhos deles não moram aqui e têm uma boa educação no exterior, obrigado)



*Apesar do título, quero especificar que ainda sou jovem, que desfruto de momentos e amadurecimentos que essa idade proporciona.

**Imagem antiga, mas só pra exemplificar.